Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Cenas com Pessoa

 

«Na própria arte em

que nos conhecemos,

nos desconhecemos.»

 

in Livro do Desassossego

 

As Associações Tenda e Palhaços do Mundo promovem de 30 de Março a 13 de Junho de 2009, junto com a Casa Fernando Pessoa, um Curso de Expressão, Corpo e Voz que tem por base o Livro do Desassossego, de Bernardo Soares (Fernando Pessoa). As áreas a trabalhar incluem noções básicas sobre respiração e a sua articulação com a voz, movimento, equilíbrio e relaxamento; percepção sensorial e memória afectiva; exploração das capacidades físicas para emissão, projecção e controlo vocal; postura física; improvisação, construção de personagem; produção de pequenas cenas teatrais a partir do texto indicado. 

São monitores: Ângela Pinto (coordenação do curso e expressão teatral), Bruno Cochat (laboratório de corpo), Manuel Brás da Costa (laboratório de voz) e Hélder Gamboa (encenação do espectáculo final que tem lugar a 12 e 13 de Junho). O Atelier decorrerá às segundas-feiras das 14h às 17h, e às sextas-feiras das 10h às 13h, sendo necessária disponibilidade dos inscritos para os dois horários. Mais informações e inscrições (de 3 de Fevereiro a 20 de Março) na Tenda: 91.6104467/ 93.9749702 e na Casa Fernando Pessoa: 21.3913270. 

 

O Atelier decorrerá nas instalações da Casa Fernando Pessoa.  

publicado por CFP às 17:26
link do post | favorito

Edição mil

Parabéns, JL.

publicado por CFP às 15:59
link do post | favorito
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Sebastian Barry vence o Costa Book of the Year

 

O irlandês Sebastian Barry venceu a edição 2008 do Costa Book of the Year, com The Secret Scripture (vai ser publicado este ano em Portugal na Bertrand). É o comovente relato da vida roubada de uma mulher, da sua demanda para resgatar o passado. Para o prémio Melhor Livro do Ano são finalistas os premiados pelo Costa Awards em diversas categorias. Sebastian Barry era considerado o favorito. A obra foi finalista de outro importante prémio literário britânico, o Booker Prize, mas perdeu. Os Costa Book Awards são os antigos Whitbread Literary Awards e reconhecem obras de autores que trabalhem no Reino Unido e na Irlanda. Sebastian Barry receberá um cheque de cerca de 26 mil euros. (fonte: Público)

publicado por CFP às 12:36
link do post | favorito

John Updike (1932-2009)

 

Morreu John Updike, um dos mais prolíferos novelistas norte-americanos do pós-guerra. Foi ontem, em Beverly Farms, Massachussets, em resultado de um cancro. Tinha 76 anos. Updike é visto pelos críticos como um erudito com o génio voltado para temas de sexo, divórcio e outras aventuras. Updike escreveu histórias curtas e longas, novelas, romances, ensaios, poemas, críticas, um pouco de tudo. Até sobre "baseball", neste caso num escrito sobre Ted Williams, um campeão da modalidade, que fez sucesso. Desde que começou a escrever, nos anos de 1950, publicou mais de 50 obras. Era um frequente candidato aos Pulitzer, que ganhou duas vezes, com Rabit Is Rich e Rabit at Rest. De outros dos galardões que venceu destaque-se dois National Book Awards. (fonte: Público) 

publicado por CFP às 12:20
link do post | favorito
Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

Prémio Literário Fernando Namora atribuído a Mário Cláudio

 

O Premio Literário Fernando Namora, instituído pela Estoril Sol, vai ser entregue ao escritor Mário Cláudio, no auditório do Casino Estoril, às 18:00 horas do dia 2 de Fevereiro, numa cerimónia que contará com a presença do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva. Mário Cláudio (pseudónimo de Rui Manuel Pinto Barbot Costa) foi distinguido pelo romance Camilo Broca, sobre a história da família e antepassados de Camilo Castelo Branco. O júri, presidido pelo escritor e ensaísta Vasco Graça Moura, contou com Guilherme de Oliveira Martins, a representar o Centro Nacional de Cultura; José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Gil Loureiro, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e Maria Seixo e Liberto Cruz, pela Estoril Sol. O galardão no valor de 25 mil euros foi disputado por autores de 99 romances relativos ao período bienal 2006/2007.

(fonte: Diário Digital)

publicado por CFP às 17:11
link do post | favorito
Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

Fernando namora: vinte anos depois

 

A  Associação Portuguesa de Escritores e a Secção Regional do Sul da  Ordem dos Médicos evocam Fernando Namora por ocasião do 20.º  aniversário da sua morte, promovendo duas sessões complementares:

Sábado, 31 de Janeiro, pelas 15h30, no Auditório da Ordem dos  Médicos (Av. Gago Coutinho, 151), Lisboa  - com a presença de Mário Soares, que presidirá ao acto, José Manuel Mendes, Paulo Coelho, Carlos Reis, Baptista-Bastos, Eugénio Lisboa, Jacinto  Simões, Joana Ruas e Luís Machado. Na sequência do colóquio, proceder-se-á à leitura de textos do autor  homenageado;
Domingo, 1 de Fevereiro, pelas 14h30, no Cinema São Jorge (sala 3), em colaboração com a Cinemateca Portuguesa, Museu do Cinema e a Câmara Municipal de Lisboa - exibição do filme Domingo à Tarde, de António de Macedo, com a participação do realizador e intervenções do Presidente da APE e de Paulo Fidalgo.
publicado por CFP às 14:58
link do post | favorito
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Casa Fernando Pessoa na Antena 1

 

A Antena 1 (95.7 MHz) transmite esta noite, logo após o bloco de notícias das 23h, a primeira sessão de Os livros que estou a ler, que teve por convidado Paulo Portas. A gravação decorreu na Casa Fernando Pessoa no passado dia 20 de Janeiro. Portas conversou com Inês Pedrosa sobre as suas leituras recentes. 

 

O convidado de Os livros que estou a ler em Fevereiro é Ana Drago.  

Categorias:
publicado por CFP às 17:20
link do post | favorito

Uma carta e duas respostas

Esclarecimento sobre as calúnias à família de Fernando Pessoa

Em Outubro de 2007, três estrangeiros, um colombiano – Jerónimo Pizarro, um argentino – Patrício Ferrari e um alemão – Stephan Dix, desejando fazer trabalhos sobre F.P. e sabendo da conhecida disponibilidade dos herdeiros, com o objectivo de fazerem a respectiva análise pediram para ver qualquer documentação ainda na minha posse, Manuela Nogueira, e de seu irmão, Luís Miguel. Assim começou o caso que se tornou numa difamação à família de Fernando Pessoa.


Convenceram-nos que seria ideal digitalizarem os documentos que ainda tínhamos em nosso poder. Assim, não teríamos de continuar a ser incomodados por outros estudiosos ou mesmo, curiosos. A documentação ficaria disponibilizada online.
Nós concordámos. Devido à nossa idade avançada e ao inconveniente que seria deixar esta pesada herança a nossos filhos, parecia bom a digitalização que facilitava o acesso a todos os estudiosos.


O investigador J.Pizarro prometeu entregar à família de F.P. DVD`s do material digitalizado e, com o nosso acordo, fornecer também cópias à Biblioteca Nacional.
Infelizmente nada ficou escrito. Acreditámos nesta boa intenção, tendo presente que outros investigadores já tinham procurado nessa documentação residual elementos para os seus trabalhos sem levantarem problemas.


Assim, durante quase um mês, estiveram em nossas casas com uma equipa alargada a digitalizar documentos, livros, etc.


Pizarro buscava material para as suas investigações pessoais e para o grupo da Edição Crítica, ao qual estava ligado; Ferrari tinha como alvo a sua tese sobre “A Biblioteca de Fernando Pessoa”.


Até aqui parecia que tudo se processava normalmente. Só que, a ânsia de notoriedade destes arrivistas, fez com que começassem a dar a jornalistas notícias constantes do que faziam e a veicularem a ideia que afinal a família do poeta sonegara bastante material no passado.


Sem conhecimento dos dois contratos firmados entre a família o Estado e a Câmara Municipal de Lisboa, propalaram, com má fé, uma história difamatória.
A comunicação social rejubilou com esta insinuação reles e mal contada. Havia material para uma guerra. Guerra que fazia o nome dos “arrivistas” aparecer com relevo e vender jornais.


Anteriormente, sem grande enfoque, tinha sido promovido pela família um leilão em Fevereiro de 2007 onde a B.N. adquiriu duas peças de interesse para aí ficarem depositadas. Como se sabe o Estado tem sempre direito de opção.


Quando o 2º leilão foi programado para Novembro de 2008, e com a digitalização já acabada, rebentou a bomba maior. O respectivo catálogo já estava há algum tempo na Internet, mas o Estado apenas 20 dias antes procurou saber sobre o material que ia a leilão e convocou a família. Debaixo de pressão pela falta de tempo, conseguiu-se uma sintonia entre o Ministro da Cultura e a família e foi assinado um documento para que ficasse bem explícito que o Estado podia exercer o direito de opção.


A digitalização ter sido feita já não era agora essencial para os estrangeiros. Tinham dado apenas um DVD à família, apesar de instados para darem a totalidade, como prometido. Veio também a saber-se que não tinham fornecido à B.N., como combinado, os DVD´s que ficariam à disposição de todos os interessados.
Em consequência da sua actuação nos jornais (Diário de Notícias, Público, Expresso. Correio da Manhã) fomos difamados.


Depois de várias tentativas saiu um esclarecimento da família no Expresso, embora a carta saísse truncada. Também houve uma entrevista a Manuela Nogueira no Diário de Notícias, expressamente pedida pelo Director deste jornal, onde houve uma explicação dos factos. Seguiram-se duas curtíssimas entrevistas dadas à TVI e SIC que não tiveram horário acessível e a principal sobre este assunto, não passou.

FACTOS CONCRETOS:

Em finais de 1978 os herdeiros de Fernando Pessoa, seus três irmãos (só Henriqueta Madalena teve dois descendentes, Maria Manuela e Luís Miguel), venderam ao Estado o conteúdo da arca onde Fernando Pessoa deixara em grandes envelopes a obra que arrumara. Esse conteúdo foi durante mais dedois anos objecto de estudos e classificação por um grupo de três funcionárias do Ministério da Educação que todas as tardes se deslocavam a casa de Henriqueta Madalena.


Depois de negociação esse espólio – que continha os originais da obra de F.P e dos seus heterónimos – foi vendido ao Estado por um preço exíguo (esses originais têm hoje um valor incalculável). Ficou na B.N. Do espólio saiu praticamente a totalidade da obra do poeta – alvo de traduções em 35 idiomas – e inúmeros trabalhos de estudiosos, tudo para benefício do público, de autores, editores e livreiros.

Em finais de 1988 a Câmara Municipal de Lisboa comprou à família dois lotes de livros que o poeta deixara em duas estantes. No contrato que a família conserva diz: uma estante com livros encadernados 327 e outra com 777 livros. Não existe no contrato a palavra Biblioteca nem qualquer referência a revistas.

A família vendeu o que foi objecto de um contrato e não tudo que, na altura, a irmã do poeta pudesse possuir relativo ao irmão.

Os “abusadores da confiança da família” acusam-nos de ter conservado património que não devíamos já possuir. E, cúmulo, que levámos a leilão uma capa rasgada de um livro, com palavras escritas pelo poeta, e que eles descobriram que pertencia a um livro que está na Casa Fernando Pessoa.


Patrício Ferrari, por ter digitalizado os livros na Casa Fernando Pessoa reconheceu essa capa no catálogo do espólio que ia a leilão e avisou a Câmara que pressurosamente enviou no momento do leilão uma Providência Cautelar em nosso nome, para impedir que o leilão se efectuasse.
O documento não vinha devidamente comprovado pelo tribunal e o leilão continuou, embora prejudicasse fortemente a família e a Leiloeira.

Teria bastado um contacto telefónico feito pela Câmara ou Directora da Casa Fernando Pessoa, que estava bem informada do assunto, para que a dita capa fosse imediatamente retirada e não entrasse no leilão. O caso seria logo aclarado.
Quiseram fazer chicana, sabotar o leilão, e colocar mal a família. Infelizmente, com a ajuda dos média mal informados, conseguiram.


O que provavelmente aconteceu na altura da embalagem dos livros em casa da irmã do poeta foi que, talvez por negligência ou ignorância, os embaladores deixassem a capa rasgada. A irmã do poeta, com o cuidado que sempre teve com o espólio, guardou essa peça meia destruída junto a outros documentos do irmão. Mais tarde quando recebemos esse espólio residual a “capinha” foi a leilão sem poder saber que pertencia a um livro vendido à Câmara há 20 anos!!!
Assim foi a família publicamente acusada de estar a vender documentos por uma segunda vez.


Até na TVE já passou uma peça sobre esta farsa ridícula que começou a circular por todo o lado. De facto os arrivistas, mal intencionados, encontraram em Portugal bom terreno para espalhar com má fé esta ignomínia. Portugal adora dar voz a estrangeiros e difamar os seus conterrâneos. Felizmente há muitos estrangeiros dignos de todo o respeito a viver no nosso país.

EIS OS FACTOS que podem ser documentados. Parece que a Câmara perdeu os contratos e actuou baseada apenas pela informação veiculada pelos “estudiosos” e confirmada pela Directora da CASA FERNANDO PESSOA.
Posteriormente veio uma notícia dizendo que não havia provas para a Providência Cautelar. Sem relevo, sem pedido de desculpa.

“NÃO SE DEVE ADMITIR O USO DE CALÚNIAS POR FALTA DE INFORMAÇÂO”

Maria Manuela Nogueira Rosa Dias Murteira e Luís Miguel Nogueira Rosa Dias

 

Aviso por causa de uma carta 

Jerónimo Pizarro, Patricio Ferrari, Steffen Dix
 
Estrangeiro aqui como em toda a parte
Álvaro de Campos

Lemos com perplexidade uma carta recente, cujos motivos subjacentes desconhecemos, dos sobrinhos-herdeiros de F. Pessoa.

1. O assunto da carta é “esclarecimento”. Se a família de F. Pessoa realmente não quer desviar as atenções dos assuntos essenciais, deveria esclarecer a opinião pública acerca do futuro dos livros e dos papéis que ainda estão na sua posse; e não sugerir que uns “estrangeiros” (apelativo repetidamente referido), que também seriam “arrivistas”, difamaram a família de um dos escritores que mais admiram e ao qual têm dedicado tempo, carinho e trabalho. Assim, o suposto difamado corre o risco de se tornar—com uma facilidade espantosa—num difamador.

2. Também nós celebramos que felizmente haja “muitos estrangeiros dignos de todo o respeito a viver no nosso país”. Leia-se Portugal, país onde nós vivemos e que sentimos como nosso, tanto que por este sentimento ainda cá estamos e gostamos de estar. De resto, os nossos trabalhos falam e continuarão a falar por nós e por si mesmos. Nunca foi nosso objectivo ajudar a “vender jornais”, mas sim possibilitar a divulgação completa da obra pessoana dentro e fora de Portugal.

3. Neste sentido, a carta referida ameaça prejudicar o trabalho que tem vindo a ser realizado no âmbito da edição e o estudo da obra de F. Pessoa, com base em falsidades e incorrecções:

–“Pizarro buscava material para as suas investigações pessoais e para o grupo da Edição Crítica, ao qual estava ligado.” Não: foi a proximidade do leilão de Dezembro de 2007 que motivou essa intervenção, que consistiu na digitalização, feita a título gratuito e através de imagens de alta qualidade, de mais de 2000 documentos cuja imagem importava salvaguardar antes de serem dispersados; de resto, o visado solicitou autorização da família para disponibilizar online esses documentos, no que não foi atendido.

-“Ferrari tinha como alvo a sua tese sobre 'A Biblioteca de Fernando Pessoa’”. Não: o visado nunca fez nem tem intenções de escrever tal tese, mas sim escreveu um artigo na revista Portuguese Studies, 24, 2, que deu visibilidade à existência de mais de 10 por cento da totalidade dos livros de F. Pessoa, ainda na posse da família.

–“Do espólio saiu praticamente a totalidade da obra do poeta”. Isto não é exacto. Ainda estamos longe de conhecer a totalidade dessa obra, pois o espólio de F. Pessoa não é apenas a parcela que hoje é pública na Biblioteca Nacional e na Casa Fernando Pessoa: é a totalidade dos seus livros e papéis. Isto quer dizer que para conhecer “a obra do poeta” é indispensável estudar e editar o material ainda conservado pela família.

–“A digitalização ter sido feita já não era agora essencial para os estrangeiros. Tinham dado apenas um DVD à família, apesar de instados para darem a totalidade, como prometido. Veio também a saber-se que não tinham fornecido à B.N., como combinado, os DVD.” A verdade é que a família de Pessoa recebeu cópia integral do material digitalizado, de que não foi pedido recibo, devido às boas relações existentes. Em finais de 2007, a família não autorizou que uma cópia integral fosse dada à BN. Mais recentemente, autorizou que essa cópia fosse entregue ao Ministro da Cultura, o que aconteceu.

–“A família vendeu o que foi objecto de um contrato e não tudo que, na altura, a irmã do poeta pudesse possuir relativo ao irmão”. A verdade é que uma parte importante (cerca de 10 por cento) do espólio do escritor foi eximida, por razão que se desconhece, ao arrolamento decidido em 1969 pelo governo português, medida de protecção de bens culturais que nunca prescreveu e continua em vigor pela presente lei. A família não terá franqueado às autoridades o acesso à totalidade do espólio de F. Pessoa para efeito de aplicação da medida legal de arrolamento e também não nos cedeu uma parte da biblioteca de Pessoa para digitalização.

4. A carta completa dos sobrinhos-herdeiros e a resposta a declarações anteriores encontram-se no blogue umfernandopessoa.blogspot.com.

Esperamos que os livros e os papéis de F. Pessoa recebam um tratamento digno e que não voltemos a ser objecto de acusações injustas.
 
 
Breve resposta a uma longa carta 
Inês Pedrosa, directora da Casa Fernando Pessoa
 
Na carta citada pelo Público, em relação à capa de um livro pertencente à Biblioteca de Fernando Pessoa que foi a leilão, afirma a dra. Manuela Nogueira: “Teria bastado um contacto telefónico feito pela Câmara ou [pela] Directora da Casa Fernando Pessoa, que estava bem informada do assunto, para que a dita capa fosse imediatamente retirada e não entrasse no leilão.”

Esclareço que telefonei à dra Manuela Nogueira cerca de quinze dias antes do leilão, pedindo-lhe informação sobre o mesmo, designadamente se havia livros. Respondeu-me a dra Manuela que não havia livros no leilão, apenas revistas, e cito, “dessas que andam por aí aos montes nos alfarrabistas”, remetendo-me para o catálogo do leiloeiro.

Sucede que só na véspera do leilão descobri a referida capa, por indicação de um dos investigadores que denodada e generosamente trabalham na digitalização da Biblioteca de Fernando Pessoa, o prof. Dr. Jerónimo Pizarro. Uma vez que, em relação à arca de Pessoa, que pretendíamos expor na Casa, a dra Manuela Nogueira nos disssera, meses antes, que não podia considerar esse empréstimo, dado que já estava no leiloeiro, pareceu-nos que de nada adiantaria contactá-la na véspera do leilão, com o catálogo estabelecido, solicitando-lhe essa capa.

Se a equipa de investigadores que, repito, generosamente e a bem da ampliação e aprofundamento do estudo de Fernando Pessoa no mundo, está a digitalizar todo o espólio, tivesse sido contactada, como seria natural, para ajudar a discriminar os lotes a leilão, nada disto teria acontecido. A Casa Fernando Pessoa orgulha-se de contar com o trabalho contínuo, patriótico no sentido mais amplo e universal do termo, desta equipa de investigadores que, por amor a Pessoa, escolheu viver em Portugal.
publicado por CFP às 17:00
link do post | favorito
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Começa hoje na Gulbenkian congresso internacional sobre promoção da leitura

 

A leitura torna o mundo mais inteligível e as pessoas mais inteligentes. Além disso, está vinculada directamente à educação e à cultura e também ao desenvolvimento social e económico sustentado de qualquer país. Quem o diz são os especialistas em promoção da leitura que hoje e amanhã se reúnem em congresso internacional na Gulbenkian, em Lisboa. O tema é Formar Leitores para Ler o Mundo e o objectivo também. (fonte: Público)

publicado por CFP às 16:39
link do post | favorito

Brasília recebe Semana Brasil Portugal

 

A capital do Brasil torna-se um verdadeiro caldeirão cultural entre os dias 26 de Janeiro e 1 de Fevereiro, altura em que artistas brasileiros e portugueses se apresentam na cidade. A Semana Brasil Portugal trará uma série de eventos ao Brasília Alvorada Hotel – como música ao vivo, performances cénicas, a exposição Lugares de Pessoa (cedida pela Casa Fernando Pessoa e mostrada pela primeira vez fora do nosso país), lançamento de livros, debates literários e gastronomia – e tem como objectivo aproximar as culturas dos dois países. Entre as várias presenças confirmadas estão a das escritoras Elisa Lucinda e Inês Pedrosa, do realizador Fernando Meirelles, de Adriana Calcanhotto, do pianista Adriano Jordão, e dos Madredeus & Banda Cósmica pelo lado da música. O senador José Sarney também deve confirmar presença, como representante da Academia Brasileira de Letras. (fonte: Portugal Digital)

publicado por CFP às 11:04
link do post | favorito

Informações e contactos

www.casafernandopessoa.pt

Morada:

Rua Coelho da Rocha, 16, Campo de Ourique 1250-088 Lisboa

Tel: 21 391 32 70

@: info@casafernandopessoa.pt

Horário: Segunda a Sábado das 10:00 às 18:00 (última entrada às 17h30)

pesquisar

Categorias

a seguir

agenda abril 08

agenda abril 09

agenda abril 10

agenda abril 11

agenda abril 12

agenda abril 13

agenda abril 14

agenda dezembro 07

agenda dezembro 08

agenda dezembro 09

agenda dezembro 10

agenda dezembro 11

agenda dezembro 12

agenda dezembro 13

agenda fevereiro 08

agenda fevereiro 09

agenda fevereiro 10

agenda fevereiro 11

agenda fevereiro 12

agenda fevereiro 13

agenda fevereiro 14

agenda janeiro 08

agenda janeiro 09

agenda janeiro 10

agenda janeiro 11

agenda janeiro 12

agenda janeiro 13

agenda janeiro 14

agenda julho 07

agenda julho 08

agenda julho 09

agenda julho 10

agenda julho 11

agenda julho 12

agenda julho 13

agenda julho 14

agenda junho 07

agenda junho 08

agenda junho 09

agenda junho 10

agenda junho 11

agenda junho 12

agenda junho 13

agenda junho 14

agenda maio 08

agenda maio 09

agenda maio 10

agenda maio 11

agenda maio 12

agenda maio 13

agenda maio 14

agenda março 08

agenda março 09

agenda março 10

agenda março 11

agenda março 12

agenda março 13

agenda março 14

agenda novembro 07

agenda novembro 08

agenda novembro 09

agenda novembro 10

agenda novembro 11

agenda novembro 12

agenda novembro 13

agenda novembro 2013

agenda outubro 07

agenda outubro 08

agenda outubro 09

agenda outubro 10

agenda outubro 11

agenda outubro 12

agenda outubro 13

agenda setembro 07

agenda setembro 08

agenda setembro 09

agenda setembro 11

agenda setembro 13

agenda setembro 14

biblioteca

casa fernando pessoa

casafernandopessoa

congresso

cursos

editorial

exposição

exposições

fernando pessoa

ler agustina

lisboa cidade do livro

mensagem do desassossego

mensagem do dia

o que importa

o que importa 2013

o que importa 2014

poesia

serviço educativo

um poema de amor por dia

uma noite com pessoa

todas as tags

arquivos

Outubro 2017

Maio 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

blogs SAPO

subscrever feeds