Quarta-feira, 16 de Março de 2016

Feira do Livro de Poesia

São 5 dias cheios de poesia os dias que, com a Junta de Freguesia de Campo de Ourique e a Livraria Ler, propomos.
Há espaço na rua para livros, de pequenas e grandes editoras, há espaço para música e para oficinas em família. E há espaço para ouvir falar de poesia e para ouvir poesia.

O programa, todo, aqui. Ficamos de encontro marcado!

publicado por CFP às 11:57
link do post | favorito
Quinta-feira, 10 de Março de 2016

Álbum de Memórias

facebook_memórias.jpg

 

Esta fotografia de Fernando Pessoa (do arquivo privado de Manuela Nogueira, sua sobrinha) data de 1928. Por esses dias, o autor já vivia em Campo de Ourique, nesta casa que lhe é dedicada.

 

Dia 18 de Março, sexta-feira, damos início a um projecto de proximidade, de vizinhança, chamado "Álbum de Memórias". Com este projecto queremos descobrir o bairro que Fernando Pessoa habitou, Campo de Ourique de 1920 a 1935.

 

A quem tenha memórias, fotografias, postais, cartas, deixamos o desafio e o apelo de se juntar a nós.

 

Para mais informações e detalhes, estamos disponíveis via telefone (21 391 32 70) ou email servicoeducativo@casafernandopessoa.pt

publicado por CFP às 12:48
link do post | favorito

CFP Feira do Livro de Poesia MAIL.jpg

A Junta de Freguesia de Campo de Ourique, a Livraria Ler e a Casa Fernando Pessoa promovem conjuntamente a Feira do Livro de Poesia com o objectivo de aproximar escritores e leitores, poetas e moradores do bairro.


Espaço na rua para livros de pequenas e grandes editoras, música, poetas de diferentes gerações e geografias – em boa vizinhança.

 

De 17 a 21 de Março, no Jardim da Parada e na Casa Fernando Pessoa.

 

Uma iniciativa da Casa Fernando Pessoa, da Junta de Freguesia de Campo de Ourique e da Livraria LER.

Curadoria de Poesia Ana Luísa Amaral.

 

Programa completo aqui.

publicado por CFP às 11:44
link do post | favorito (1)
Quinta-feira, 3 de Março de 2016

"Ser, Viver, Sentir" por Helena Feital, aluna da Universidade Sénior de Campo de Ourique

VISITA UNIVERSIDADE SÉNIOR_20151216 (11)_red.jpg

 

 

Numa colaboração com a Junta de Freguesia de Campo de Ourique, o curso de Introdução aos Estudos Pessoanos foi desenvolvido especificamente para a Universidade Sénior de Campo de Ourique e tem o objectivo de apresentar as muitas e variadas facetas de Fernando Pessoa enquanto homem e escritor.

 

 

 

Foi assim, Fernando Pessoa, com este envolvimento à descoberta de nós próprios, que voltamos ao encontro da tua Lisboa de menino.

 

Para nós, o Teatro Nacional de S. Carlos foi teu guardador de infância. Para ti, foi o local onde o teu pai escrevia coisas muito bonitas. Sentado na plateia ele seguia, com um interesse muito especial, cada partitura. Desde a grandeza da orquestra, ao lampejo mais profundo do tenor, até ao calor apaixonado da soprano, assim como a performance dos outros cantores principais, não esquecendo o coro grandioso. E o teu pai não esquecia!...

 

Que melhor local podíamos nós encontrar para viver e sentir os teus poemas? Assim, quase a cantar, como uma bela ária em teu louvor? Já percebi que gostaste da ideia! Começamos a visita guiada, com uma profissional muito simpática, muito envolvida em todos os meandros do Teatro.

 

Ali, junto à estátua Homem-Cabeça-de-Livro-Aberto-para 1793.

 

Neste ano foi edificado este belo Teatro de características neoclássicas de inspiração setecentista italiana.

 

Quando entrámos, fomos até ao foyer. Neste espaço, realizam-se, actualmente, concertos de câmara e breves recitais, de entrada gratuita, em determinados meses do ano.

 

O nosso “concerto” desenvolveu-se olhando as peças de arte que o decoravam. O mobiliário nobre, o espaço de elite para uma época faustosa.

 

Então, vivemos alguns poemas teus…

 

“Um piano na minha rua

Crianças a brincar

O sol de domingo e a sua

Alegria a doirar…”

 

Esta abertura foi o arauto de um belo poema. Daí fomos à sala de espectáculos, magnífica, onde o camarote real nos dominou…Acho, Fernando Pessoa, que tu também merecias ter estado ali!

 

Na plateia, claro que sentimos o teu pai, desenvolvendo a sua crítica musical. No fosso, enorme, havia um lugar para uma grande orquestra, solistas principais e maestro.

 

No palco estava montado um cenário austero para a peça que estrearia no dia seguinte: “O diálogo das Carmelitas”. Depois de subirmos ao palco vimos um adereço, muito importante no desenvolvimento da peça: representava uma carmelita, dormindo o seu sono eterno de paz.

 

Nos camarins vimos dispostos os mantos, as vestes, as sandálias simples que esperavam pelos seus personagens.

 

Agora era a vez de subirmos mais alto, até ao cimo, onde se manobravam as cortinas do palco e os diversos cenários necessários às diferentes cenas.

 

Lá no cimo estavam os vários profissionais responsáveis por esta parte do espectáculo. Descendo, descendo as escadarias, muitas, chegámos ao Salão Nobre ricamente decorado de magníficos lustres, vivemos aquela solenidade do passado. Para ti, Fernando Pessoa, dissemos outro poema:

 

“Ao som da música adormeço/ sem dormir./ O que fui e o que sou esqueço/por sorrir.”

 

Quando as janelas se abriram para aquela varanda imponente, mesmo em frente ao teu prédio, vi, pela primeira vez, o célebre “sino da minha aldeia”. Quase, quase mesmo ao lado do teu quarto. Acertei? Era o sino da igreja, hoje Basílica dos Mártires!

 

Sentimos mais poemas teus, voando das nossas bocas…

 

“Qualquer música, ah, qualquer/ Logo que me tire da alma/Esta incerteza que quer/Qualquer impossível calma.”

 

A partir daqui, foi impossível para a minha caneta calar-se…

 

“Pobre velha música!/Não sei porque agrado / Enche-se de lágrimas / Meu olhar parado.

 Recordo outro ouvir-te/ Não sei se te ouvi/ Nessa minha infância/ Que me lembra em ti.

Com que ânsia tão raiva/ quero aquele outrora/ E eu era feliz?

Não sei:/Fui-o outrora agora.”

 

…E assim terminou em apoteose o nosso festival ao largo: Só Poesia.

 

Se não conhecem estes poemas de Fernando Pessoa, não percam tempo. A eternidade de uma obra mágica, espera-vos!

publicado por CFP às 10:27
link do post | favorito

Informações e contactos

www.casafernandopessoa.pt

Morada:

Rua Coelho da Rocha, 16, Campo de Ourique 1250-088 Lisboa

Tel: 21 391 32 70

@: info@casafernandopessoa.pt

Horário: Segunda a Sábado das 10:00 às 18:00 (última entrada às 17h30)

pesquisar

Categorias

a seguir

agenda abril 08

agenda abril 09

agenda abril 10

agenda abril 11

agenda abril 12

agenda abril 13

agenda abril 14

agenda dezembro 07

agenda dezembro 08

agenda dezembro 09

agenda dezembro 10

agenda dezembro 11

agenda dezembro 12

agenda dezembro 13

agenda fevereiro 08

agenda fevereiro 09

agenda fevereiro 10

agenda fevereiro 11

agenda fevereiro 12

agenda fevereiro 13

agenda fevereiro 14

agenda janeiro 08

agenda janeiro 09

agenda janeiro 10

agenda janeiro 11

agenda janeiro 12

agenda janeiro 13

agenda janeiro 14

agenda julho 07

agenda julho 08

agenda julho 09

agenda julho 10

agenda julho 11

agenda julho 12

agenda julho 13

agenda julho 14

agenda junho 07

agenda junho 08

agenda junho 09

agenda junho 10

agenda junho 11

agenda junho 12

agenda junho 13

agenda junho 14

agenda maio 08

agenda maio 09

agenda maio 10

agenda maio 11

agenda maio 12

agenda maio 13

agenda maio 14

agenda março 08

agenda março 09

agenda março 10

agenda março 11

agenda março 12

agenda março 13

agenda março 14

agenda novembro 07

agenda novembro 08

agenda novembro 09

agenda novembro 10

agenda novembro 11

agenda novembro 12

agenda novembro 13

agenda novembro 2013

agenda outubro 07

agenda outubro 08

agenda outubro 09

agenda outubro 10

agenda outubro 11

agenda outubro 12

agenda outubro 13

agenda setembro 07

agenda setembro 08

agenda setembro 09

agenda setembro 11

agenda setembro 13

agenda setembro 14

biblioteca

casa fernando pessoa

casafernandopessoa

congresso

cursos

editorial

exposição

exposições

fernando pessoa

ler agustina

lisboa cidade do livro

mensagem do desassossego

mensagem do dia

o que importa

o que importa 2013

o que importa 2014

poesia

serviço educativo

um poema de amor por dia

uma noite com pessoa

todas as tags

arquivos

Maio 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

blogs SAPO

subscrever feeds