Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Pensar é limitar. Raciocinar é excluir. Há momentos em que é bom pensar, porque há momentos em que é bom limitar e excluir.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, p.199

publicado por CFP às 17:47
link do post | favorito
Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Não quero mais da vida do que sentil-a perder-se nestas tardes imprevistas, ao som de creanças alheias que brincam, nestes jardins engradados pela melancholia das ruas que os cercam, e copados, para além dos ramos altos das arvores, pelo ceu velho onde as estrellas recomeçam.

 

Livro do Desasocego - Tomo I, edição crítica de Fernando Pessoa, volume XII, edição de Jerónimo Pizarro, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2010, p. 255

publicado por CFP às 17:46
link do post | favorito
Terça-feira, 28 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Sinto frio na alma: não sei com que me agasalhar. Para o frio da alma não há manta nem capa. Quem o sente não se esquece.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, p.94

publicado por CFP às 17:44
link do post | favorito (1)
Segunda-feira, 27 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Sabeis decerto que o maior amor não é aquele que a palavra suave puramente exprime. Nem é aquele que o olhar diz, nem aquele que a mão comunica tocando levemente noutra mão. É aquele que quando dois seres estão juntos, não se olhando nem se tocando, os envolve como uma nuvem.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, p.71

publicado por CFP às 17:43
link do post | favorito
Domingo, 26 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Tenho pensamentos que, se lhes pudesse dar corpo e fazê-los viver, acrescentariam um novo brilho às estrelas, uma nova beleza ao mundo e um maior amor ao coração dos homens.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, p.57

publicado por CFP às 17:42
link do post | favorito
Sábado, 25 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

A única coisa superior que o homem pode conseguir é um disfarce do instinto, ou seja o domínio do instinto por meio de um instinto reputado superior. Esse instinto é o instinto estético. Toda a verdadeira política e toda a verdadeira vida social superior é uma simples questão de senso estético, ou de bom gosto.

 

A Procura da Verdade Oculta – textos filosóficos e esotéricos, Fernando Pessoa, prefácio, organização e notas de António Quadros. Europa-América, 1986, p. 63

publicado por CFP às 17:40
link do post | favorito
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Não o amor, mas os arredores é que vale a pena…

A repressão do amor illumina os phenomenos d’elle com muito mais clareza que a mesma experiencia. Há virgindades de grande entendimento. Agir compensa mas confunde. Possuir é ser possuido, e portanto perder-se. Só a idéa attinge, sem se estragar, o conhecimento da realidade.

 

Livro do Desasocego- Tomo I, edição crítica de Fernando Pessoa, volume XII, edição de Jerónimo Pizarro, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2010, p. 481

publicado por CFP às 17:38
link do post | favorito
Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Porque o que os portugueses têm de excelente é serem o povo mais civilizado da Europa. Nascem civilizados, porque nascem capazes de aceitar tudo. Nada têm daquilo a que os antigos psiquiatras costumavam chamar misoneísmo, termo que apenas significa aversão às coisas novas; adoram a novidade e a mudança. Não possuem elementos estáveis, como os franceses, que só fazem revoluções para exportação. Os portugueses estão sempre a fazer revoluções. Quando um português se vai deitar faz uma revolução, porque o português que acorda no dia seguinte é muito diferente. Tem precisamente mais um dia, muito distintamente mais um dia. Outros povos acordam todas as manhãs como se fosse ontem. O amanhã está sempre a vários anos de distância. Não é assim com esta estranha gente. Vai tão depressa que deixa tudo por fazer, incluindo andar depressa. Nada é menos preguiçoso do que um português. A única parte indolente do país é a trabalhadora. Daí a sua manifesta falta de progresso.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, pp.194-95

publicado por CFP às 17:36
link do post | favorito
Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

O temperamento português é universal: é essa a sua magnífica superioridade. O único grande acto da história portuguesa  - esse longo, cauteloso, científico período dos Descobrimentos – é o grande acto cosmpolita da história. Nela se retrata o povo inteiro. Uma literatura original, tipicamente portuguesa, não pode ser portuguesa porque os portugueses típicos nunca são portugueses. Há algo de americano, fora o ruído e o quotidiano, no temperamento intelectual deste povo. Nenhum povo se apropria tão prontamente das novidades. Nenhum povo se despersonaliza de forma tão magnífica. Essa fraqueza é a sua grande força. Esse não-regionalismo temperamental o seu desusado poder. É essa indefinição da alma que o define.

 

Prosa Íntima e de Auto-Conhecimento, Fernando Pessoa, edição de Richard Zenith, Assírio & Alvim, 2007, p.194

publicado por CFP às 17:35
link do post | favorito
Terça-feira, 21 de Setembro de 2010

Mensagem do desassossego

Encontrei hoje em ruas, separadamente, dois amigos meus que se haviam zangado um com um o outro. Cada um me contou a narrativa de porque se haviam zangado. Cada um me disse a verdade. Cada um me contou as suas razões. Ambos tinham razão. Ambos tinham toda a razão. Não era que um via uma coisa e o outro outra, ou que um via um lado das coisas e outro um lado diferente. Não: cada um via as coisas exactamente como se haviam passado, cada um as via com um criterio identico ao do outro, mas cada um via uma coisa differente, e cada um, portanto, tinha razão.

            Fiquei confuso d’ esta dupla existencia da verdade. 

 

Livro do Desasocego- Tomo I, edição crítica de Fernando Pessoa, volume XII, edição de Jerónimo Pizarro, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2010, p. 476

publicado por CFP às 17:33
link do post | favorito

Informações e contactos

www.casafernandopessoa.pt

Morada:

Rua Coelho da Rocha, 16, Campo de Ourique 1250-088 Lisboa

Tel: 21 391 32 70

@: info@casafernandopessoa.pt

Horário: Segunda a Sábado das 10:00 às 18:00 (última entrada às 17h30)

pesquisar

Categorias

a seguir

agenda abril 08

agenda abril 09

agenda abril 10

agenda abril 11

agenda abril 12

agenda abril 13

agenda abril 14

agenda dezembro 07

agenda dezembro 08

agenda dezembro 09

agenda dezembro 10

agenda dezembro 11

agenda dezembro 12

agenda dezembro 13

agenda fevereiro 08

agenda fevereiro 09

agenda fevereiro 10

agenda fevereiro 11

agenda fevereiro 12

agenda fevereiro 13

agenda fevereiro 14

agenda janeiro 08

agenda janeiro 09

agenda janeiro 10

agenda janeiro 11

agenda janeiro 12

agenda janeiro 13

agenda janeiro 14

agenda julho 07

agenda julho 08

agenda julho 09

agenda julho 10

agenda julho 11

agenda julho 12

agenda julho 13

agenda julho 14

agenda junho 07

agenda junho 08

agenda junho 09

agenda junho 10

agenda junho 11

agenda junho 12

agenda junho 13

agenda junho 14

agenda maio 08

agenda maio 09

agenda maio 10

agenda maio 11

agenda maio 12

agenda maio 13

agenda maio 14

agenda março 08

agenda março 09

agenda março 10

agenda março 11

agenda março 12

agenda março 13

agenda março 14

agenda novembro 07

agenda novembro 08

agenda novembro 09

agenda novembro 10

agenda novembro 11

agenda novembro 12

agenda novembro 13

agenda novembro 2013

agenda outubro 07

agenda outubro 08

agenda outubro 09

agenda outubro 10

agenda outubro 11

agenda outubro 12

agenda outubro 13

agenda setembro 07

agenda setembro 08

agenda setembro 09

agenda setembro 11

agenda setembro 13

agenda setembro 14

biblioteca

casa fernando pessoa

casafernandopessoa

congresso

cursos

editorial

exposição

exposições

fernando pessoa

ler agustina

lisboa cidade do livro

mensagem do desassossego

mensagem do dia

o que importa

o que importa 2013

o que importa 2014

poesia

serviço educativo

um poema de amor por dia

uma noite com pessoa

todas as tags

arquivos

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

blogs SAPO

subscrever feeds